Copyright 2019

Especialista em CARROS

Todos os direitos reservados

(47) 99193-2323

 

especialistaemcarros@hotmail.com

Atendemos Litoral Norte e

Vale do Itajaí, Santa Catarina.

Consulte para outras regiões.

WhatsApp-icone-3.png

Descubra 11 mitos e verdades sobre pneus

 

Cuidados diários ajudam a preservar e a garantir mais segurança

 

Você é do tipo que só dá atenção ao pneu quando ele fura? Ou então quando se vê obrigado a trocar o item e percebe que o preço vai sair mais “salgado” do que imaginava? Pois, saiba que alguns cuidados diários ajudam a preservar e a garantir mais segurança. O consultor automotivo André Bertoldi Reiter, do Especialista em Carros, esclarece mitos e mostra verdades sobre pneus:

 

É melhor optar por todos os pneus da mesma marca (VERDADE)

“De preferência todos os pneus devem ser da mesma marca, porém é admissível ter até duas marcas diferentes desde que se mantenha a mesma marca no mesmo eixo”, explica o consultor.

 

Alguns fabricantes não recomendam realizar rodízio de pneus (VERDADE) 

“O rodízio é aplicado para que todos os quatro pneus cheguem ao fim de sua vida útil juntos, mantendo os quatro pneus nas mesmas condições e consequentemente um equilíbrio uniforme nos dois eixos. Em um carro com tração dianteira os pneus dianteiros têm a função de virar, tracionar e frear, o que causa o dobro de desgaste em relação aos pneus traseiros que têm somente a função de girar e suportar cerca de 25% da força de frenagem total. Somente a Renault e a BMW não recomendam efetuar o rodízio de pneus”, diz André Reiter.

 

Nem sempre é fácil descobrir se o carro está desalinhado (MITO) 

“Os sintomas de um carro desalinhado são muito fáceis de serem diagnosticados e podem ser percebidos a partir de um volante torto, quando carro está puxando para esquerda ou direita ao soltar o volante em um terreno plano, pela perda de estabilidade, quando o veículo canta pneu com muita facilidade e também quando há aumento de consumo de combustível”, orienta o consultor.

 

A falta de calibragem prejudica a vida dos pneus (VERDADE)

“A calibragem é um dos principais quesitos a serem respeitados para que o pneu tenha alta longevidade. O excesso de calibragem faz com que o pneu tenha desgaste precoce no meio da banda de rodagem, já que as laterais praticamente não têm contato com o solo quando há excesso de pressão, além de deixar o carro instável e com perda de dirigibilidade e segurança. Quando os pneus trafegam com pressão abaixo da recomendada o desgaste excessivo ocorre nas laterais da banda de rodagem, além de aumentar o consumo de combustível e deixar os pneus muito mais propenso a furos e cortes”, esclarece André.

 

Posso usar qualquer calibragem, pois o importante é calibrar (MITO) 

“Cada carro tem uma pressão diferente recomendada pela montadora, e o único lugar que podemos encontrar essa informação com segurança é no manual do proprietário do seu veículo. Vale lembrar que a calibragem dos pneus deve ser sempre efetuada com os pneus frios. Um pneu é considerado frio somente se rodar até 2 km entre a garagem e o ponto de calibragem. Se não for possível calibrar os pneus frio acrescentar dois libras em relação a pressão recomendada a frio”, diz o consultor.

 

A maneira de dirigir não influencia a vida dos pneus (MITO)

“A forma de dirigir influencia diretamente na durabilidade dos pneus, afinal se o motorista freia, acelera, e faz curvas de maneira brusca os esforços a que o pneu é submetido serão muito maiores do que o daquele motorista que dirige de maneira constante e suave. Eu posso afirmar com toda segurança que a maneira de dirigir pode aumentar o diminuir a longevidade do pneu em até 50%”, explica o especialista.

 

É importante calibrar o estepe (VERDADE) 

“O estepe deve ser calibrado 1 vez por mês”, recomenda.

 

Pneu de uso misto dura menos (VERDADE)

“Pneus de uso misto são projetados para oferecerem desempenho satisfatório, tanto no asfalto quanto fora dele, como offroad leve e lama. Porém, como tudo que é “flex” ou misto, não oferecerá o melhor nem no asfalto e nem na lama. Como nunca rodarão no seu melhor ambiente em via de regra possuem menor durabilidade que pneus específicos para asfalto e offroad”, esclarece André Reiter.

 

Existem diferentes tipos de pneus (VERDADE)

“Pneu verde é aquele com baixa resistência ao rolamento e maior quantidade de sílica em sua composição. Um pneu “verde” pode contribuir para a redução do consumo em até 6% e reduzir a emissão de C02 em até 15%. Já o pneu run flat é projetado para rodar vazios por 80 km a até 80km/h, em caso de perda de pressão causada por furos ou rasgos. Suas desvantagens em relação aos pneus convencionais são o maior custo e serem mais duros e menos confortáveis, devido a sua estrutura reforçada. Vale salientar que pneus run flat não devem ser instalados em aros que não foram projetados para receber esse tipo de pneu, pois seu encaixe na roda não será perfeito. Todo carro que possuir pneu run flat precisa necessariamente ser equipado com monitoramento de pressão dos pneus, pois um pneu run flat vazio passa despercebido pela maioria dos motoristas que rodarão acima da velocidade e distância recomenda com o pneu vazio, gerando danos aos pneus e perigo de acidentes”, afirma. 

 

Pneu não tem prazo de validade (MITO)

“Os pneus têm garantia de fábrica de 5 anos assegurada somente pela data de fabricação presente no pneu, sem a necessidade de apresentar nota fiscal de compra. Esse prazo começa a correr a partir da data de fabricação e não da compra. Quanto ao prazo de validade ele não existe oficialmente, mas sabendo que com o passar do tempo a borracha resseca e perde suas características originais, apela-se ao bom senso e recomenda-se não usar um pneu com mais de 5 anos de fabricação. Porém se o pneu for armazenado de maneira adequada e não possuir rachaduras pode-se rodar com ele sem problema algum”, diz

 

Pneu de alta performance proporciona mais estabilidade ao carro (VERDADE)

“Um pneu de alta performance proporcionará muito mais estabilidade em curvas, acelerações e frenagens, deixando o carro muito mais ‘na mão’ em todas essas situações, porém o tempo de aceleração não mudará consideravelmente e tende até a piorar já que o foco do pneu não é eficiência energética, ou seja poderá ter maior resistência ao rolamento”, explica.

 

Obs.: O nosso consultor André Bertoldi Reiter foi entrevistado pela repórter Juliana Lambert, do portal R7 Notícias.

 

Link da matéria original: 

https://noticias.r7.com/fotos/descubra-11-mitos-e-verdades-sobre-pneus-29112017#!/foto/1

Please reload

Notícias em Destaque

Carro autônomo: você ainda vai ter um?

1/8
Please reload

Busca por Categoria
Please reload

Busca por Título
Please reload